terça-feira, setembro 18, 2007

O que a mídia não te conta

Senador Azeredo teria recebido R$ 4,5 milhões para "questões pessoais"

O inquérito da Polícia Federal que investigou o valerioduto mineiro nas eleições de 1998 diz que a campanha de reeleição do então governador e agora senador Eduardo Brandão de Azeredo arrecadou cerca de R$ 100 milhões, embora a campanha tenha declarado ao TRE despesas de pouco mais de R$ 8,5 milhões.

O tesoureiro Cláudio Roberto Mourão da Silveira moveu ação contra Eduardo Azeredo e Clésio Andrade (vice-governador no primeiro mandato de Aécio Neves) com o objetivo de obter pagamento de dívidas que teria assumido em seu nome.

Cláudio nomeou Nilton Monteiro como seu procurador para negociar um acordo.

E entregou a ele uma lista de três páginas com a discriminação detalhada dos métodos de arrecadação e os gastos da campanha.

Ao depor à Polícia Federal, Cláudio negou que houvesse passado a procuração e disse que não assinou a lista que ficou conhecida como "lista do Mourão".

Porém, as análises da PF demonstraram que é dele a assinatura nos dois documentos, sem qualquer possibilidade de que tenham sido transpostas de outro papel.

A PF admite que Mourão pode ter turbinado a lista, com o objetivo de obter um acordo melhor com aqueles que considerava devedores.

A lista, de três páginas, descreve minuciosamente as fontes do dinheiro.

Um dos truques, segundo o documento assinado por Mourão, foi na promoção do Enduro da Independência pela agência SMP&B, de Marcos Valério.

Da administração direta, ou seja, do governo de Minas, a agência recebeu R$ 2 milhões; da administração indireta, ou seja, de empresas ligadas ao governo, obteve mais de R$ 10,6 milhões.

Entre as empresas estão a CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais), a COPASA (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), a COMIG (Companhia Mineradora de Minas Gerais), o BEMGE (Banco do Estado de Minas Gerais), o Crédito Real e a Loteria Mineira.

Porém, apenas uma pequena parte do dinheiro foi de fato aplicada no Enduro da Independência.

O restante foi usado na campanha.

Um dos beneficiários do "caixa dois" teria sido, segundo o documento, o atual governador de Minas Gerais, Aécio Neves, então candidato a deputado federal.

Aécio teria recebido R$ 110.000,00.

O senador Eduardo Azeredo teria recebido R$ 4,5 milhões "para compromissos diversos (questões pessoais)".

Da arrecadação total, de R$ 100 milhões, cerca de R$ 24,5 milhões teriam sido destinados ao atual ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia, "para pagamento de despesas diversas". Mares Guias era o vice-governador e havia coordenado a campanha de Azeredo em 1994.

O documento que agora Cláudio Mourão diz não ter assinado mostra que o valerioduto irrigou campanhas de dezenas de candidatos, de vários partidos, para montar a base aliada do governador.

"Parte do recurso foi com aval do governo, vindo das privatizações, de empreiteiras, Queiroz Galvão, Erkal, CBN, Egesa, Arg, Tercam, entre outros e fornecedores do Estado, de prestadores de serviços diversos, construtoras, indústrias, bancos, corretoras de valores, da CEMIG, da PRODEMG, da TELEMIG, Secretarias de Governo, inclusive da Fazenda, BANCO BDMG, de doleiros e de outros colaboradores individuais, no valor superior a cifra de R$ 80.000.000,00 (oitenta milhões de reais). Mesmo assim, ficou pendente uma dívida superior a R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais)".

O relatório tem 172 páginas, foi produzido pela Diretoria de Combate ao Crime Organizado, Divisão de Repressão a Crimes Financeiros, é assinado pelo delegado Luís Flávio Zampronha de Oliveira e encaminhado ao ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal - uma vez que vários dos acusados têm foro privilegiado.

O documento é um peça importante para quem quer estudar a farra do boi com dinheiro público.

(publicado por Luiz Carlos Azenha, ontem, 17 de setembro, em seu site Vi o Mundo)

PS: em um update ontem mesmo, Azenha informa ter recebido "a informação de que uma rádio mineira tocou no assunto, dizendo que o dinheiro do valerioduto financiou várias campanhas, 'inclusive do PT'." E questiona: "Ué, então deveriam ter detonado logo o Mares Guia, que é articulador político do governo Lula."
Um saquinho de pão de queijo pra quem adivinhar o que foi que o Jornal Nacional fez hoje. Com recheio pra quem acertar se foi sequer citado o nome do digníssimo governador de Minas...

PS2: para ler a íntegra da "lista do Mourão", clique aqui.

7 comentários:

Marina Victor disse...

Enfim as verdades sobre o governo Aecio neves estão saindo na "grande midia" Agora não vou ficar somente no novo jornal que apesar de ser otimo é pouco lido.
Tem muitas questões ainda para serem esclarecidas principalmente com relação ao favorecimento de grandes siderurgicas como a Belgo, Acominas que não estão sendo investigadas na questão de sonegação e crimes ambientais.

Ricardo disse...

* Pois é. Eles vão o tempo todo dizer que não houve mensalão, mas sim crime eleitoral de caixa 2 "apenas". Mas fique atento para o tamanho da grana!!! 100 milhões, enquanto o "mensalão" teria envolvido 55...

* A grana do mensalão mineiro é toda desviada - toscamente desviada - de estatais e de órgãos públicos. Uma vergonha!

* O Merval Pereira ontem no Globo News falou que o problema em MG é diferente do esquema do PT, pois o PT "usou dinheiro público para comprar mudanças na Constituição, de interesse do governo." Tem que denunciar isso, porque é mentira, é o contrário. O mensalão, além de não ter sido comprovado (e pouco crível, já que não precisaríamos comprar gente da base... Ou como aplicar o conceito ao Roberto Brant???) - o "mensalão" não teve recurso público!

* Eles teimam em dizer que a VisaNet foi dinheiro público, mas não cabe, é um fundo de empresas administradoras da bandeira Visa. Além de que os adiantamentos feitos pela Visanet para a DNA foram praticados tb no governo FHC...

Anônimo disse...

De fato, como você diz, "o documento é um peça importante para quem quer estudar a farra do boi com dinheiro público". Você reparou que ali tem o nome de 34 petistas que teriam sido beneficiados pelo "esquema" do valerioduto, e fazem parte da Lista do Mourão? Para não te dar o trabalho de pesquisar, transcrevo abaixo o que está no Relatório da Polícia Federal. contendo o total do PT em reais e os nomes da moçada.

http://viomundo.globo.com/site.php?nome=PorBaixoPano

PT - 880 mil

ROBERTO CARVALHO - 200 mil
CHICO FERRAMENTA - 145 mil e 500
VIRGILIO GUIMARÃES - 50 mil
PAULO DELGADO - 50 mil
MARIA DOCARMO - 50 mil
FASSARELLA - 30 mil
GILMAR MACHADO - 25 mil
HOLANDA CANGUSSU - 25 mil
JOÃO MAGNO - 20 mil
JOANA D'ARC - 20 mil
CARLOS RODRIGUES - 5 mil
ELVIO MARQUES - 5 mil
ROGÉRIO SOUZA - 5 mil
SUED KENEDY - 5 mil
CIRO BUDA VIÇOSA - 5 mil
GERALDO MAGELA - 5 mil
ELAINE FLEMING - 5 mil
ADEMIR JOSÉ - 5 mil
PEDRO ANTÔNIO - 5 mil
JUAREZ SOARES - 5 mil
RENATO BARROS - 5 mil
AROUDO DARTAGNAM - 5 mil
FÁBIO CARVALHO - 5 mil
ISA MUSSI - 5 mil
JOSÉ MAGELA - 5 mil
ALZERVIO MOURA - 5 mil
PAULO ÂNGELO - 5 mil
FABIANO J. VIOTT - 5 mil
CAIO LÚCIOS - 5 mil
CÉLIO CRUZ - 5 mil
ROSA VILAÇA - 5 mil
DIMAS REIS - 2 mil e 500 reais
MARINHO TEIXEIRA - 2 mil
GEO (REPASSES EM ESPÉCIE) - 150 mil

Clarice disse...

eu sou favorável que se investigue todos! apenas o fato de "ser petista" não isenta ninguém, o que eu sempre defendo é isso: que a justiça seja igual para todos! logo, se acho errado pré-condenar, sem investigação e provas, todos que estão na lista, sou igualmente contra a decisão arbitrária pela inocência de uns e outros. que botem os petistas na mídia, mas dêem o mesmo destaque para o aécio, afinal eles fazem parte da mesma lista e estão sendo acusados da mesma coisa.

Clarice disse...

em tempo: pra não me "dar o trabalho de procurar", você copiou um texto do link que eu mesma dei? é óbvio que eu li o que eu própria recomendei, amigo, faço o blog por minha conta mas não sou irresponsável como uns e outros que ganham muito bem para, em tese, não o ser.

Marina Victor disse...

Caro Anonimo. Eu não tó preocupada se é PT, DEM, PSDB. A questão principal é a verdade aparecer doa a quem doer.
E o mais engraçado é que quando era o PT foi "pouca vergonha" "roubalheira", mas o PSDB fez 4 anos antes e eles podem???
Logico que não, ninguem pode.
Os culpados independente de quem forem tem que ser julgados e condenados.
Não pode existir 2 pesos e duas medidas.

NLFigueiredo disse...

Já tinha ouvido um zum-zum sobre o assunto. Agora, de forma cabal. São fatos abomináveis, a exemplo do mensalão, sanguessuga, e outros escândalos, todos impunes. Vergonha! Nessa hora, os dois partidos que estão na berlinda fazem um acordo de bastidores e homologam no Judiciário. Sempre foi assim... No Pará, um vereador semi-analfabeto (Gonçalo Duarte) costumava assim se expressar: "em política só não vi boi avoá". Assim como os Fichas Sujas de hoje foram Fichas Limpas antes de entrar na política, os Fichas Limpas de agora, tendo mandato, serão os Fichas Sujas logo mais... É assim que funciona o corporativismo político e partidário. Infelizmente! Eu acredito em mudança a partir de ajustes na estrutura arcaica dos 3 Poderes do Estado, para eliminar os feudos em cada Poder. Tudo sob controle do Poder Privado, afinal o poder emana do povo, conforme propõe o autor de "Brasil Ético, Estado Moderno - Uma Revolução Cultural no 3o Milênio". O livro é uma usina de 1001 idéias de como modernizar o Brasil. É a minha opinião.